Todo dia é dia de Yoga

É fácil compreender que vale praticar Yoga e meditação, mas é difícil criar condições para praticar diariamente. Vejo que há duas opções óbvias: uma delas tem a dimensão que eu quiser, de preferência o dia inteiro, pois, no fundo, estou falando de um modo de viver, sem estresse; a outra opção inclui os momentos em que sou tomado por uma situação de sentimentos intensos, positivos ou negativos. Esses momentos extremos são os mais exigentes, pois, neles eu até poderia me perder. E não há sábio que não esteja vulnerável a uma situação dessas.

Por isso, a minha escolha é treinar, condicionar-me, exercitar a capacidade de concentrar-me, de respirar corretamente, de lidar com a realidade de uma forma adequada, em todos os dias. Assim, vou aumentando a capacidade de manter a tranquilidade e o autocontrole diante das situações mais difíceis.

Não basta fazer um exercício apenas, por mais maravilhoso que seja, num período curto, determinado. Afinal, tenho uma vida inteira de desafios. Essa "vida inteira" exige saber lidar com as circunstâncias, ser feliz, curtir, deixar passar, ser maleável. Para mim, o grande propósito de viver é simplesmente continuar vivendo, e o momento em que deixarei de viver está fora do controle. Se tudo é passageiro mesmo, prefiro lidar com as circunstâncias do melhor modo possível.

No cotidiano, habituo-me a sentir-me um yogue, e vou praticando o estado de tranquilidade. Reservo alguns minutos do dia para lembrar que o corpo e a respiração existem. Faço, para isso, vários intervalos durante a jornada diária, tanto em casa como na empresa em que trabalho. No entanto, ainda é difícil admitir ficar sem fazer ou pensar absolutamente nada de produtivo. Não sou incentivado a isso, de forma alguma, a não ser por mim mesmo. No entanto, viver é realizar e também é "não agir", deixar que a vida prossiga, permitir-se o receber. Viver inclui a receptividade.

Essa capacidade, de deixar a vida prosseguir, dá a consciência de que tudo é não permanente e transitório. Assim, embora eu perceba que sempre há algumas tarefas a fazer, dou chance para que outras pessoas façam também a sua parte. Quero achar que sou muito importante, para quem me ama, para mim mesmo e para a vida, e já me convenci que de insubstituíveis o cemitério está cheio.

Então, reafirmo diariamente minha disciplina de praticar Yoga e mantenho essa disposição de fazer minhas atividades e de ser, ao mesmo tempo, testemunha do que eu faço. Presto atenção em mim mesmo para estar consciente e sem estresse. Só o fato de estar prestando atenção em mim, já acho ótimo. Reconheço-me como uma pessoa livre. Estou percebendo que tudo passa, que nada é tão importante assim, e que a minha felicidade é feita de pequenas "coisas", que estão ao meu alcance!

Thadeu Martins

 

      

ADQUIRA!

Saiba mais

MAPA